Diário Catarinense, 24 de maio de 2010
REVOLUÇÃO DOS BALDINHOS
Lixo que educa e vira alimento
Resíduos orgânicos que sujavam as ruas em duas comunidades viram adubo que fortalece hortas e conscientiza as crianças

Os ratos invadiram o bairro. Pelas ruas, nas casas, nas escolas, os roedores andavam em busca de restos de comida deixados pelos moradores. Para resolver o problema da infestação, surgiu uma ideia: recolher os resíduos orgânicos jogados pelas ruas e transformá-los em adubo.

No início, há um ano e meio, cinco famílias participavam do projeto para a compostagem do lixo, nas comunidades Chico Mendes e Novo Horizonte, no Bairro Monte Cristo, em Florianópolis. Todo o trabalho era feito por voluntários. Atualmente, são 95 famílias, duas agentes comunitárias contratadas e dois bolsistas.

O projeto, chamado Revolução dos Baldinhos, foi idealizado e organizado pelo agrônomo Marcos José de Abreu, que trabalha no Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo (Cepagro).

De acordo com Marcos, hoje são coletadas 10 toneladas de lixo orgânico por mês produzido pelas famílias que participam do projeto. Isso representa menos de 3% do total de pessoas residentes nas comunidades, cerca de 3 mil. O projeto só não está sendo ampliado porque não haveria espaço para depositar mais resíduos.