Aquaponia na agricultura urbana

Em Dortmund, Alemanha, a parceria entre uma ONG - Die Urbanisten - e uma microempresa de aquaponia- Hei-Tro -, ambas dedicadas ao desenvolvimento de soluções produtivas favoráveis ao ambiente urbano, vem pesquisando sistemas que combinem a produção integrada de hortaliças e peixes em estufas compatíveis com o clima frio europeu.


Acima e abaixo, estufa demonstrativa instalada na área externa do escritório da Hei-Tro recebendo a visitação de uma turma de estudantes da Faculdade de Arquitetura de Manchester. Inglaterra.. Mais à esquerda do grupo, Rolf Morgenstern (o mais alto), da equipe da Die Urbanisten, recebe os estudantes, dando-lhes explicações sobre o sistema e lhes adiantando considerações sobre a importância de eles desenvolverem no futuro projetos arquitetônicos que fujam de vários paradigmas insustentáveis do passado - quando os problemas ambientais e clmáticos, de eficiência energética e segurança alimentar não estavam colocados com a urgência de hoje em dia.  .



A seguir, à esquerda, um sistema experimental de compostagem, onde os resíduos orgânicos são introduzidos no cano central e as minhocas se encarregam de decompostá-los e movê-los para o espaço ao redor, dentro do balde,  de onde o fertilizante pode ser recolhido. À direita, uma carga de minhocas-vermelhas-da-califórnia usadas em várias etapas do processo  de produção aquapônica.



Abaixo, As instalações demonstrativas de aquaponia estão sendo produzidas em parceria com a EPH Schmidt, uma indústria de estufas para produção de hortaliças e plantas ornamentais e de jardins-de-inverno, mas que percebeu que os sistemas de aquaponia podem representar um novo nicho de mercado para sua produção.
Notem o acabamento de tudo, inclusive da pavimentação da área de exposição dos modelos de estufa vendidos.

A seguir, dois exemplos de instalações produzidas na EPH Schmidt: uma estufa para produção de plantas e um jardim-de-inverno, para o lazer nos meses frios do ano.
A qualidade absoluta e o capricho no acabamento em tudo que fazem estão entre os principais segredos da cultura, do desenvolvimento industrial e do bem-estar na Alemanha.


Abaixo, Axel Storzner (à esquerda, da Hei-Tro) e Nils Rehkop (da Die Urbanisten) provam o excelente sabor das alfaces produzidas por aquaponia.



Acima, verificando as condições dos peixes criados no sistema integrado à produção das hortaliças, dentro da estufa.

Ao lado, Nils colhe uma alface e mostra como o seu sistema radicular desenvolveu-se satisfatoriamente mergulhado (em parte) na solução de água contendo os nutrientes liberados pelos peixes.

Abaixo, alfaces já quase prontas para serem colhidas.





Atenção:
Também no Brasil há pessoas pesquisando, trabalhando e difundindo os sistemas aquapônicos de produção: conheçam o Cláudio Alfaro e sua  empresa de Aquaponia Urbana, com o mesmo capricho dos alemães.



Abaixo, projeto em AutoCAD em desenvolvimento pela parceria, de um sistema didático de aquaponia viável para ser instalado em pequenos espaços - até em interiores - como em escolas etc.

Vejam só duas fachadas do prédio onde está instalado o escritório da Hei-Tro (e outros). Assim é que é na Alemanha...





p